terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

Kaladesh

O mundo de Kaladesh é uma obra de arte viva, devendo sua existência luminosa à presença tangível do éter. O éter é a energia mágica bruta que habita o espaço entre os planos do Multiverso. Embora esteja nominalmente presente em muitos planos, em Kaladesh ele é uma parte crítica do ecossistema. A energia vivificadora infunde o mundo natural, esculpindo a terra e os cursos d'água, desenhando árvores e ervas de delicados padrões espirais e atraindo criaturas selvagens como uma força magnética.

Desde que o engenhoso inventor Avaati Vya desenvolveu um processo para refinar o volátil éter bruto, este também passou a ser uma parte essencial da cultura mundial de invenções inspiradas. O Consulado, instituição governante de Kaladesh, reconheceu o potencial do éter como combustível e projetou métodos de distribuição para garantir que ele fosse acessível a todos. Tais esforços levaram a uma renascença dos inventores em todo o plano, uma época de esperança, otimismo e criatividade irrestrita. Agora, autômatos mecânicos caminham pelas ruas, tópteros rodopiantes voam sobre os mercados e elegantes mecanismos elevam e rebaixam ruas e prédios das cidades.

Mas apesar de toda sua magnificência, Kaladesh ela ainda enfrenta conflitos. Uma facção conhecida como renegados acredita que o Consulado está infringindo suas liberdades. Eles se recusam a aderir a regulamentos de segurança e quotas de éter, e tentam minar os esforços do Consulado de criar uma sociedade organizada e estruturada. Mas, atividades renegadas à parte, esta é uma época de celebração. O Consulado anunciou recentemente a Feira dos Inventores, um festival de um mês para celebrar a miríade de invenções da Grande Explosão do Éter. Aeronaus disputarão corridas, constructos autômatos lutarão, mentes geniais se enfrentarão e os projetos elegantes reinarão supremos.

O jurado-mor da feira designou o meticuloso e diligente vedalkeano Dovin Baan como Inspetor Sênior, e este prometeu que a feira seria realizada sem nenhum inconveniente. Recentemente, ele solicitou a ajuda das Sentinelas para mitigar potenciais ameaça renegadas. Nada impedirá o povo de Kaladesh de desfrutar do brilhantismo de suas geniais criações.




CRIATURAS LENDÁRIAS





Jovem anã renomada por seu talento ao volante, Depala é conhecida pelo seu gosto em extrapolar os limites. Ela pertence à sociedade aeronauta dos Corvos de Corrida, e trabalha com seus inventores para aperfeiçoar continuamente suas naus, esforçando-se sempre para estar à frente dos adversários.














Na juventude, Padeem era uma ousada artífice duelista. Ela foi aclamada pela invenção da armadura autorreparadora, e seguiu carreira na confecção de armaduras. Agora, na casa dos cinquenta, a vedalkeana ocupa a cadeira de Consulesa da Inovação e orienta inventores iniciantes ao longo do processo de desenvolvimento, escolhendo em quais empreendimentos o Consulado terá financiamento e participação.











Eteromante de dons incríveis, a compreensão que Rashmi adquiriu sobre a interconectividade do Grande Conduíte lhe rendeu uma reputação um tanto mística. Ela realiza sua pesquisa eterológica em um enorme Inquirium itinerante, onde busca desvelar os segredos das Eternidades Cegas que cercam Kaladesh.














O etergênito Gonti é o senhor do crime mais famoso de Ghirapur. Ele preside o único mercado noturno permanente de Ghirapur, para onde os renegados afluem para obter mercadorias ilícitas e éter sifonado. Gonti entretém visitantes e hóspedes ilustres com suas aeronaus primorosas, seu zoológico de constructos de animais e uma vasta coleção particular de invenções não convencionais.











Oviya acredita que a beleza deveria estar no coração de toda invenção. Aclamada vivideira, ela passou muitos anos como mentora de jovens artífices. Mas, ao perder sua esposa, ela passou a trabalhar secretamente em seus próprios projetos. Ela contratou contrabandistas, incluindo os Nalaar, para lhe fornecer o éter para suas engenhosas criações.













Como Cônsul da Alocação, Kambal supervisiona a distribuição de éter, mas deixou que a corrupção chegasse ao seu cargo. Ele manipula seus contatos no mercado negro, faz acordos com sifonadores de éter e já barganhou até com o etergênito Gonti, o senhor do crime. Kambal usará de qualquer força necessária para preservar seu domínio e sua fortuna.













Pia e Kiran eram os pais da planeswalker Chandra Nalaar. Quando Chandra era jovem, eles eram inventores brilhantes e apaixonados que simpatizavam com a filosofia dos renegados, acreditando que a criatividade não devia ser sufocada. Mas o capitão Baral lhes deu uma punição exemplar; pelo crime de contrabando de éter, ele incendiou toda a vila onde eles se escondiam, reduzindo-a a cinzas. Quando a centelha de Chandra se acendeu, ela deixou Kaladesh convencida de que seus pais haviam sido assassinados pelo Consulado.









Pia é uma notória Renegada, mãe da planeswalker Chandra Nalaar. Tanto mãe quanto filha acreditavam que a outra estava morta, assassinada pelas forças do Consulado há muito tempo. Depois de perder o marido e a filha, Pia passou de jovem e otimista inventora a exaltada revolucionária, jurando desafiar o Consulado e desviá-lo do caminho da tirania e da opressão.













Rishkar, um elfo cultivador da região florestal de Peema, veio a Ghirapur para ver as maravilhas da Feira dos Inventores. Após testemunhar a repressão do Consulado, ele encontrou um novo propósito: lutar pelo acesso livre ao éter para todos. Ele tornou-se um advogado feroz da causa dos Renegados.














Apesar de ter sido incentivada pelos pais para tornar-se artesã, Kari queria mais da vida. Ela fugiu após ser expulsa de seu cargo como aprendiz. Agora, com 15 anos de idade, ela retorna como pirata ao lado de seu macaco de estimação, Ragavan, e sua aeronau, Sorriso do Dragão. Kari adora uma aventura e é famosa por suas incursões contra o Consulado.













Dizem que o etergênito Yahenni conhece todo mundo em Ghirapur. Tanto o Consulado quanto os Renegados o procuram para obter informações, e Yahenni satisfaz as duas facções sem o menor problema. Carismático e exagerado, Yahenni sempre sabe onde e quando os eventos sociais mais interessantes estão acontecendo.













Baral é algo raro em Kaladesh, pois é um mago. O Consulado considera os magos perigosos e instáveis, e por isso Baral mantém seus poderes em segredo enquanto caça e prende outros magos. Mais de uma década atrás, ele pediu a execução da piromante Chandra Nalaar, e sofreu graves queimaduras quando ela desapareceu em uma explosão flamejante.












Sram relaciona-se melhor com máquinas do que com pessoas, e conhece cada centímetro da cidade. Como edificador sênior, sua função é garantir a harmonia entre todas as partes móveis que formam a complexa infraestrutura de Ghirapur. Consciente do peso de sua responsabilidade, ele é obcecado com a vigilância.














PROVÍNCIAS:



GHIRAPUR, CIDADE DAS MARAVILHAS

Maior cidade de Kaladesh, Ghirapur é uma gigantesca máquina que ganha vida com o poder do éter. A cidade se estende a partir do distrito portuário de Bomat, na confluência dos três maiores rios de Kaladesh, por uma miríade de bairros variados e distintos, incluindo o fervilhante distrito comercial das Onze Pontes, os aviários de Impróvia, a zona metalúrgica de Soldafirme, o cosmopolita cinturão verde de Kujar e a colônia de artistas conhecida como Passeio dos Gigantes. Ghirapur foi fundada com o espírito da invenção, e hoje ela é a sede do governo, o Consulado, que luta para defender os princípios dos fundadores, o otimismo, a liberdade criativa e a esperança.


LATHNU, A CIDADE NO TOPO DO MUNDO

Lathnu é uma povoação remota no extremo norte, nas alturas das Colinas de Devra; ela é acessível apenas por bonde, ou por uma longa e extenuante escalada. A economia de Lathnu gira em torno da mineração e da fundição dos metais encontrados nas montanhas, dos quais inventores por toda a Kaladesh dependem para construir seus dispositivos maravilhosos.


PEEMA, TOCADA PELO ÉTER

Estendendo-se por milhares de acres, a selvagem floresta de Peema abriga uma população de elfos profundamente conectados com o fluxo do éter. Todos os dias, fluxos de éter mergulham da eteresfera para permear a flora e imbuir a fauna. As plantas são mais vibrantes em Peema, e as criaturas são mas fortes, mais rápidas e mais vivazes que seus equivalentes em qualquer outro lugar em Kaladesh.


VAHD, OS DEGRAUS DOURADOS

Extensa região outrora devotada à agricultura, Vahd assumiu nova identidade durante a Grande Explosão do Éter, tornando-se um polo da indústria aeroneira. Os campos de trigo em torno das vilas de Panka, Cambi e Maranjapur foram capinados para dar lugar a pistas de pouso, hangares e oficinas, e muitos fazendeiros foram treinados para se tornar aeroneiros e pilotos de teste.



RAÇAS DE CRIATURAS:


HUMANOS

Os humanos de Kaladesh são sonhadores apaixonados que se esforçam para realizar o impossível por meio de suas invenções. Embora sejam a única raça em Kaladesh cuja fisiologia não foi tocada pelo éter, sua curiosidade e ambição alimentam a inovação, e eles se sobressaem na sintetização de ideias.


ELFOS

Os elfos são profundamente sintonizados com o fluxo do éter e as formas sutis pelas quais ele influencia e molda o mundo natural. Suas invenções são inspiradas pela natureza e, por sua vez, inspiram outros, oferecendo uma visão de progresso que é elegante, eficiente e harmoniosa em relação aos padrões do éter do Grande Conduíte.


VEDALKEANOS

Os vedalkeanos, seres de pele azul e doze dedos, são conhecidos por se ocuparem profundamente com a natureza teórica de suas invenções. Eles buscam a perfeição nos projetos, embora admitam, e se alegrem com o fato, que nada pode ser perfeito. Em vez disso, eles se deliciam com as iterações e aprimoramentos; eles são os inovadores de Kaladesh.


ANÕES

Os anões acreditam que a beleza de uma invenção é quase tão importante quanto sua função, e nada é mais bonito que um dispositivo que funcione perfeitamente. Esses artesãos meticulosos têm uma ética de trabalho sem paralelos. Eles contam com ferramentas e métodos consagrados, e adoram a parte física da construção.


GREMLINS

Embora careçam das características de uma raça humanoide culta, os gremlins ainda desempenham um papel importante na sociedade inventiva de Kaladesh. Movidos por sua sede insaciável de éter, eles devoram invenções obsoletas ou defeituosas (ou às vezes plenamente funcionais) para ter acesso ao éter preso em seu interior. Assim, eles libertam o éter para que ele retorne ao ambiente, permitindo que ele seja usado novamente.


ETERGÊNITO

Os etergênitos surgiram espontaneamente como subproduto do processo de refinamento do éter. Seus corpos estão em constante fluxo, conforme o resíduo etéreo do qual são feitos gradualmente se dissolve e é retomado pela eteresfera. Portanto, suas vidas são breves. Porém, em vez de se desesperar, eles saboreiam cada momento fugaz, deles extraindo cada gota de satisfação.




Fonte: wizards.com





Nenhum comentário:

Postar um comentário