domingo, 4 de setembro de 2016

League Pokemon

Participe da League Pokemon !

Começando agora?

A League Arena Pokemon é o lugar perfeito para você se encontrar com outros fãs do jogo e se divertir. Usando seu próprio deck (ou da loja) você pode treinar pros citys e ganhar prêmios incríveis! A melhor parte é que você pode fazer tudo isso com outros jogadores que amam colecionar e jogar tanto quanto você!

Mesmo que você não saiba todas as regras do jogo, na Liga Arena você pode aprender o básico e em pouco tempo, aperfeiçoar sua estratégia. Participar de uma Liga é a melhor maneira de melhorar suas habilidades para competir em torneios como Regional, Nacional e Mundial.

Ciclo da Ligas 2016

O ciclo de Ligas Oficial é composto por 4 temporadas, tendo cada temporada a duração de mais ou menos doze semanas, uma estação do ano.

A Liga acontecerá uma veze por semana com duração de 2 horas, na data válida (conforme regras mais abaixo).

No inicio de cada temporada você receberá um cartão (scorecard) que utilizará para acompanhar os seus jogos das Ligas. Guarde-o bem, pois quando atingir suas metas pra receber prêmios exclusivos,

Aqui temos o exemplo de um exemplo de Scorecard:

Regras:
  1. Cada temporada terá duração de doze semanas, e a data valida para os desafio será sempre no sábado das 13:00 até as 15:00.
  2. Nos dias dos challenge, cada jogador deverá desafiar e estar apto a ser desafiado por outros jogadores participantes para assim conseguir uma marca na linha.
  3. Disputar um torneio com taxa de inscrição da o direito a duas marcas na linha.
  4. Trazer um jogador iniciante lhe da o direito a uma marca na linha.
  5. Não tem limite de pontos ganhos em um dia.
  6. Os participantes não poderão enfrentar um mesmo jogador no mesmo dia
  7. Cada linha será preenchida por vez.
  8. Inteiramente GRÁTIS.
  9. Os decks deverão ser no formato padrão. (standard)
Em caso o jogador perca sua scorecard, o mesmo deverá começar do zero novamente.
Temporada terá duração de 10/09 até 10/12.


Regras:


Ao concluir as marcações de uma linha, você receberá uma fraqueza.
  • Ao concluir as marcações da 1ª linha, seus pokemons EX causam 10 de dano a menos.
  • Ao concluir as marcações da 2ª linha, seu oponente começa com um prêmio a menos.
  • Ao concluir as marcações da 3ª linha, seu oponente começa com dois prêmios a menos.
Premiação:

  • Ao terminar a 1ª linha você ganha uma carta de código.
  • Ao terminar a 2ª linha você ganha uma deck box oficial.
  • Ao terminar a 3ª linha você ganha um booster.
  • Ao terminar a 4ª linha vocâ ganha uma carta promocional.





domingo, 28 de fevereiro de 2016

Daretti

Em seu plano natal de Fiora, Daretti era conhecido como um goblin especialmente inteligente, talentoso e ambicioso. Seu objetivo era simples e audacioso ao mesmo tempo: tornar-se um mestre artesão na Academia da Cidade Alta de Paliano. Enquanto galgava posições na organização, os magos da elite da cidade primeiro riram, depois o desprezaram e, por último, protestaram. No fim das contas, não foram as tramas de seus opositores, mas os experimentos de Daretti que causaram sua derrocada. Uma das famosas criações de Daretti explodiu, deixando uma enorme cratera sem vestígios do corpo do goblin. Na verdade, o choque da explosão acendeu a centelha latente de Planeswalker em Daretti, arremessando-o através dos planos para um lugar seguro. Ele perdeu as pernas na explosão, mas sobreviveu... com olhos abertos para infinitos mundos de conhecimento e artifícios a serem explorados. Ele construiu para si uma complexa geringonça de locomoção e continuou com seus experimentos de artesão, tanto em Fiora quanto nos mundos distantes.

Após algum tempo distante, Daretti retornou a Fiora para reformular as estruturas do poder de Paliano - as mesmas que negaram a ele a realização de seus sonhos. Seus ardis resultaram na dissolução da Academia quando ele deu a Grenzo, o goblin guardião da prisão do palácio, uma dica sobre um depósito com os guerreiros de engrenagem construídos por Muzzio. Ele também teve participação importante ao inflar as revoltas dos goblins - tanto para derrubar a atual liderança de Paliano quanto para desentocar antigos membros da Academia que estão se escondendo na cidade.






Ashiok

Ashiok usa o medo para aterrorizar os inimigos com seus próprios pesadelos mais sombrios. Ele adora ter o controle da situação e ouvir os gritos e suplicas daqueles que se julgavam superiores.

Como todos os seres sencientes sentem medo, Ashiok acredita que seu poder seja uma forma de equalização. Para Ashiok, o medo é um sentimento que ganha forma através da mente, uma força semi-elemental que ele descobriu poder ser moldada e manipulada para seu próprio benefício.

Depois que sua centelha de planeswalker se acendeu, Ashiok descobriu que, além de controlar os pesadelos dos outros, ele também conseguia fazer com que se manifestassem no mundo real. Desta forma, ele se vê como um engenheiro, empenhado na construção de uma estrutura deformada de tormento e desolação. Os vapores pavorosos que emanam dele são uma extensão de sua magia, que permite que ele acesse e manipule mais facilmente o medo daqueles que a fumaça envolve.

Agora, ele viaja pelo Multiverso em uma busca de modelos para a incorporação perfeita do medo. Em sua busca, Ashiok chegou a Theros, onde os sonhos parecem mais vibrantes do que nos outros planos que visitou.





Arlinn Kord

Arlinn Kord é uma lobisomem atormentada originária de Avabruck que tem um dom único em sua raça: ela é uma Planeswalker.

Arlinn era adolescente quando os uivos da alcateia de Mondronen a chamaram para a floresta e ela completou sua Primeira Caçada. Ela sempre lutou contra a transformação, utilizando amuletos Avacynianos, orações e jejuns para proteger-se o máximo possível. Ela chegou até mesmo a estudar magia na igreja, tornando-se Arquimaga dos Noite Dourada, enquanto escondia sua maldição de seus professores e mentores — até uma noite em que ela não conseguiu mais conter a transformação e matou diversos hierarcas antes que sua centelha se acendesse e ela se visse correndo pelas florestas de outro plano.

Aterrorizada, ela recuperou os sentidos pela manhã — mas não recuperou sua forma humana. De algum modo, a experiência de manter sua mente humana na forma lupina deu a ela uma apreciação diferente do espírito selvagem com quem compartilha seu corpo. A única maneira de voltar a sua forma humana era transplanar de volta a Innistrad; hoje em dia, ela consegue controlar a transformação nas duas direções com alguma facilidade. Apesar de ainda se horrorizar com o massacre que ela protagonizou na igreja, ela está aceitando o poder de sua forma lupina como um complemento natural de sua magia.

Acima de tudo, Arlinn deseja desesperadamente garantir a sobrevivência de sua espécie. Ela passou a se considerar parte da alcateia. Em um mundo que Avacyn purificou com o Calar das Maldições ou matou centenas de lobisomens, e onde sua igreja está iniciando uma nova inquisição ainda mais terrível do que nunca, Arlinn teme que se não agir a tempo, os licantropos de Innistrad logo serão extintos para sempre.









sábado, 27 de fevereiro de 2016

The Shadow Mage: Parte 2



Bem vindos de volta viajantes de lugares distantes. Estamos dando início a nossa primeira jornada pelo Multiverso neste ano e, como prometido, voltaríamos a falar sobre a família Carthalion. Parece que as preces dos clérigos que existem entre vocês foram ouvidas, pois consegui, após muitas buscas planares, encontrar as relíquias em PDF do Shadow Mage e é com grande prazer que pretendo compartilhar com vocês este conhecimento acumulado.


The Battle of Aster Fall

De acordo com o Reckoning of the Sages of Minorad, estamos no ano de 1265 nas planícies de Ephran. Para quem não sabe, The Reckoning of the Sages of Minorad é um antigo calendário primário usado em Corondor. Sua contagem se inicia a partir da primeira reunião dos Sábios de Minorad que deve corresponder por volta do ano de 3000 da antiga contagem Argiviana.

Mas Arconte essa data não bate com a atual contagem Argiviana!

Correto. A maioria das datas usadas nas HQs antigas se tornaram obsoletas na time line atual devido a revisão que a Wizard fez após a Saga do Bons Ventos. As novelas lançadas nas HQs são consideradas pré revisionistas e após o lançamento das novelas em livros, começando com a Guerra dos Irmãos, a Wizard batizou esse material de revisionista. Isso significa que qualquer data que encontremos nas HQs e que não venha a coincidir com o revisionista é anátema, ou seja, não faz parte do cannon da Wizard.
Após Adam Carthalion perceber a ameaça que o Battlemage Ravidel representava a toda Dominaria, ele reuniu suas tropas nas planícies para por um fim a profecia.


Se vocês prestarem atenção na frase de Adam, ele pede para seu tenente "tapar" as montanhas e as terras. Dentro do jogo, Tap se transformou em Vire e assim temos a ideia de que usamos a mana que a terra produz. Algo que sempre me fascinou nas HQs é como elas conseguiam fundir o jogo com o Lore. Não é possível arrumar uma tradução da palavra TAP que dê essa ideia que estamos acostumados dentro do jogo.

Pelo visto, Adam Carthalion era um piromante.

Enquanto suas tropas aguardavam suas ordens, uma estrela cadente surge nos céus. Para o spellsquire de Adam aquilo era um mau presságio e significava que a batalha terminaria de forma não favorável... mas ele era Adam Carthalion e não retrocederia.

E de repente, surge nos céus Ravidel, The Battlemage navegando com a Nau Voadora dos Bons Ventos e... ops, my mistake... não era o Bons Ventos e sim apenas uma embarcação voadora qualquer.



Se Adam Carthalion era piromante, então Ravidel era um planinauta que usava a mana preta e vermelha.

Por quê?

Porque ele simplesmente assim que entrou no campo de batalha conjurou um Sinkhole.




Mas Adam já estava preparado para tal situação - usou seu sideboard - e mesmo com a terra sendo devastada ele conseguiu mana das montanhas que estavam distantes. Para quem leu o livro de Invasão se lembrará que diversas vezes Barrin conjurou feitiços usando a mana azul através de suas memórias de Tolaria estando a milhas de distancias dela.

Mesmo Adam sendo apenas um mago seu poder conseguiu rivalizar, até certo ponto, com o do Battlemage Ravidel. Apesar de bem pouco conhecido até mesmo por nós, planinautas que surgiram antes da Emenda, Ravidel é um personagem icônico dentro das antigas sagas de planinautas.

Antes que eu prossiga, deixe-me mostrar-lhes quem foi Ravidel antes de sua ascensão ao poder.


O poderoso Battlemage Ravidel fora spellsquire do planinauta Faralyn. Além de ter sido amigo de Rhuell ou Chromium, um dos dragões Elder. Faralyn reuniu os planinautas na esperança que eles se matassem e assim, com a energia liberada, ele a utilizaria para romper as Shards que os prendiam. 

Durante os duelos, Szat The Doom of Fools, matou o Elder e percebendo a liberação de energia emanando do dragão, Faralyn a utilizou para criar uma conjuntura.

Indignado com a morte de seu único amigo, Ravidel parte para cima de Leshrac, porém ele é morto em questão de segundos pelo Walker of Night.


Após isso, todos os planinautas partem restando apenas Taysir e Kristina of the Woods - amor eterno de Taysir. Com a ajuda de Taysir ela consegue ressuscitar o spellsquire, mas ao invés de mostrar gratidão com sua ressurreição ele jura vingança contra Kristina. Taysir o tomou como spellsquire após discutir com Kristina e sabendo de seus sentimentos pela planinauta, Ravidel conseguiu manipular e estimular a amargura que havia em Taysir.



E assim nasceu The Battlemage Ravidel...

É bem provável que ele tenha abandonado Taysir em sua busca por poder e vingança e dessa forma, conseguiu ascender a planinauta ou talvez ele nunca tenha de fato sido um planinauta. Digo isso porque parece que era comum naquela época, as pessoas chamarem magos extremamentes poderosos de planinautas.

Ice Age HQ nº1


Essa referência ai em cima foi usada para Freyalise antes dela morrer e despertar sua centelha como planinauta, porém as pessoas já a chamavam de planinauta. Então por isso, pode haver a probabilidade de que Ravidel nunca fora um planinauta autêntico e sim, apenas um mago ao nível de Barrin e que possuía uma embarcação que atravessava planos ou ele usava algum outro dispositivo.

Voltando a batalha...

Adam e Ravidel duelam sobre as planícies de Corondor com todas as forças. Raios, bolas de fogo, relâmpagos... um combate épico entre piromantes.



Mas mesmo com todo este arsenal de magia, Adam Carthalion não foi páreo para o Battlemage e veio a tombar em batalha. Ele foi gravemente ferido, mas ainda não estava morto então, ele entrega seu único filho Jared- o filho que ele recusou a sacrificar para se tornar planinauta - e o entrega ao seu spellsquire Ezer para que ele fuja e assim, a linhagem dos Carthalion sobreviveria.

Infelizmente, enquanto Adam entregava o garoto para Ezer ambos foram golpeados por Ravidel com um Drenar alma.



Acredito que todos lembrem dessa carta, mas nunca é demais trazer a memória.



Ferido e praticamente morto, Adam tenta seu último ato heróico após a partida de Ezer e seu filho. Ele usou suas últimas forças para conjurar um das magias mais poderosas conhecidas naqueles tempos e dessa forma, tentar por um fim as ambições de Ravidel.


Se você acha que somente Jaya e Chandra sabem brincar com fogo, sugiro que reveja seus conceitos .Ele conjurou Inferno e, aparentemente, conseguiu obliterar o Battlemage Ravidel. Mas todos sabemos que os vilões do Multiverso precisam mais do que uma simples explosão para desaparecerem.



Ezer consegue fugir da destruição e foge para a floresta de Kelsylthas com seu jovem príncipe. Cheio de esperança na jovem criança, ele acredita que um dia ele crescerá e se tornará forte o suficiente para poder vingar seu pai, porém até mesmo a mais sólida esperança perece perante as trevas, solidão e principalmente a fome e sede.



Não julguem mal o pobre Ezer, mas o que um pobre criado e uma criança poderiam fazer contra o terror que Ravidel trouxe? Entregue ao desespero, ele caí inconsciente deixando o indefeso Jared a mercê das feras da floresta.

Mas acho que ele não era tão indefeso assim como ele acreditava...



O garoto herdou do pai a aptidão mágica. A mana já corria por suas veias e pelo visto, não era mana azul.

Após três longos meses, eles finalmente conseguiram chegar a cidade-estado de Arathoxya, sede da Casa Escarlate e lar dos Carthalion. O Vizir Escarlate providenciaria abrigo ao seu legítimo herdeiro e senhor das terras Carthalion... bem isso foi o que Ezer acreditou que aconteceria.

O Vizir Escarlate o confunde com um mendigo e o manda ir embora, mesmo ele dizendo que a criança em suas mãos era Lorde Jared, herdeiro da casa Carthalion, mas o Vizir não acredita mesmo após Ezer revelar um artefato de Adam - o que na verdade somente piorou a situação porque fez com que ele fosse considerado um ladrão.



Mas vejam só... o antigo artefato que Ezer apresenta nada mais era do que uma bateria de mana.


Quem vai se preocupar com um Sinkhole em algum terreno quando se tem um desses carregados de marcadores? Não foi atoa que Adam nem ligou para a magia de Ravidel.

Ezer e Jared foram enxotados como cães porque simplesmente, o Vizir não o reconheceu como filho legítimo de Adam Carthalion e isso se deve graças a magia que Ravidel conjurou sobre eles.

Lembram-se do Syphon Soul que eles receberam?

Então, a magia acabou alterando a aparência da criança e até mesmo a de Ezer - bem, olhando por alto não parece que mudou muita coisa, mas de toda forma, eles ficaram irreconhecíveis.

Ezer continuou vivendo como pôde na cidade de Arathoxya. Ele continuou criando o jovem Jared e ambos viviam na sarjeta. Com o passar dos anos Jared se tornou um pequeno ladrão de rua, lutando e roubando para sobreviver em sua própria cidade e, como é de praxe, todo garoto que vive na rua sempre acaba se envolvendo em encrencas e com ele não fora diferente.



Se ele apanhasse e batesse estaria ótimo, porém ele sempre era o saco de pancadas dos valentões. Não que ele não tivesse coragem para enfrentá-los, mas quatro contra um convenhamos que não era uma luta muito justa.



E assim crescia o jovem Jared Carthalion, um garoto com um nome e família nobre que precisava viver das sobras dos outros para sobreviver. Mesmo com o passar do tempo Ezer nunca deixou que o garoto esquecesse quem ele era e quem seu pai... acontece que o garoto já não acreditava tanto naquilo como antes, pois afinal, tudo aquilo era passado e o presente dele era totalmente diferente desses tempos de glórias.


Além das lembranças de tempos de outrora, somente a Bateria de Mana permaneceu para lembrá-los do poderio da casa Carthalion. O que provavelmente foi o que chamou a atenção de Ravidel para a cidade de Arathoxya.



Como eu disse antes, Adam tentou eliminar Ravidel, porém ele falhou. O Battlemage conquistou as terras de Ephren e tomou conta do antigo castelo de Adam, Melmereth, e ao que tudo indica ele exerceu forte influência sobre a Casa Escarlate e o Vizir.

Então, algo inusitado aconteceu. Os orcs de Ravidel encontraram um antigo e peculiar artefato nas masmorras de Adam, um pequeno dispositivo que cabia na palma da mão -nada mais, nada menos que...

Afinal nada melhor que um planinauta fashion.


Ravidel encontrou o Óculos de sol de Urza e através dele conseguiu visualizar - e não me pergunte como - a existência do antigo artefato e isso levou até Jared.

Eu adoro essas referências, vocês não?


A fala de Ravidel não ficou muito clara quando ele se refere a uma gema. Eu mesmo nunca cheguei a testemunhar o poder deste óculos de Urza, mas como ele está ligado a mana vermelha acredito que quando ele se refere a "gema" está se referindo ao antigo artefato de mana vermelha de Adam e - acredito eu - acabou descobrindo que o bebê Carthalion sobrevivera.

Seu subordinado orc pede para realizar a tarefa, mas Ravidel preferiu invocar um guerreiro para não levantar suspeitas na cidade devido à aparência do orc.


Após quase um mês a procura do Carthalion o sangrento bárbaro finalmente encontra o garoto. Como esperado, o bárbaro não levanta suspeitas pelas ruas e vai diretamente a casa de Jared. Lá, ele encontra o velho Ezer e o garoto de setes anos prontos para serem massacrados. O fiel Ezer pede para que o garoto fuja e o deixe, porém o rapaz não deixaria seu amigo/tutor/pai para trás e resolve tentar alguma magia pela primeira vez em sua vida.


Jared consegue realizar sua primeira magia - provavelmente um incinerar ou desintegrar - e pulveriza o bárbaro. Ezer sente-se orgulhoso do que o garoto acabou de realizar e começa a enxergar alguma luz no fim do túnel deles. A vingança que eles tanto almejavam estava agora mais perto do que nunca, ainda mais que agora o jovem Jared era capaz de "tapar " a mana.

Ninguém esquece a primeira vez que "tap" num land quando joga Magic!


Estão vendo aquele símbolo na bochecha direita do garoto? Um símbolo que parece mais uma lua crescente é conhecido como, Mark of the Elder Druid. Os altos druidas de Yavimaya carregavam esta marca e foram três que a possuíram: Kolbjorn, sua filha Kaysa e um outro cujo nome é desconhecido. Estes três, até aonde se sabe, foram os druidas que a possuíram, mas entre os mortais somente a família Carthalion teve indivíduos com essa marca e ao que tudo indica, Jared fora o primeiro em Dominaria.

Lembrando que os eventos em Shadow Mage são anteriores a Era Glacial.

Agora que Jared despertara seus poderes místicos, sua verdadeira luta começaria, entretanto a ameaça fantasma de Ravidel ainda pairava no ar... e o Battlemage não deixaria que outro Carthalion se erguesse para desafiá-lo outra vez.



______________________________________________________________________


The Shadow Mage HQ


Infelizmente, só encontramos o volume 1/4 da saga dos Carthalion. Caso alguém tenha interesse em lê-la aqui está o link.

Caso alguém queira ler sobre o encontro dos planinautas na Null Moon aqui está o link. Essa HQ é considerada a3/4 da saga de Ice Age porque logo após a batalha contra Szat, Freyalise decide acabar com a Era Glacial.

______________________________________________________________________
Como eu disse a continuação dessa saga dependerá de eu encontrar o restante das HQ do Shadow Mage. Eu consegui a nº3 e estou em busca do restante. Eu volto a frisar porque a saga do Shadow Mage e Ravidel não acabam nessas quatro HQ porque em seguida veio a saga Wayfare e a Planeswalker War onde Ravil finalmente encontrou seu fim. Então é provável que continuemos a abordar as aventuras de Jared por mais alguns artigos, até não ousem desaparecer nas Eternidades Cegas jovens planinautas.



MAGIC: The Gathering - The Shadow Mage, Vol.1, N°2, August, 1995, Wizards of the Coast, Inc. All rights reserved. Published under exclusive license by ARMADA, a divison of Acclaim Comics, Inc.

Tradução feita por:  Leandro Dantes (Arconte)
Tradução Original: nesse LINK